Joya Photos

Joya's Book


Reviews | Translations

Poema: Uma Flor Brota entre Pedras no Afeganistão

Atenção, abrir em uma nova janela. PDFImprimirE-mail

por Edu Montesanti, Nolan Chart, 18.5.2009
tradução de Edu Montesanti

Malalai Joya

Há esperança para o Afeganistão? Sim, há! No país do Taliban e dos tão temidos senhores da guerra, a esperança do povo afegão encontra lugar nos seus homens combatentes, e nas várias valentes mulheres. A eles, nossa admiração, solidariedade e oração; à Malalaï Joya nossas seguintes palavras de amor - apenas porque ela tem entregado sua vida, após ser expulsa do Parlamento afegão por denunciar os senhores da guerra - traficantes de droga. Joya não será jamais morta, e sua voz será para sempre a voz do seu povo

em memória das vítimas afegãs dos ataques dos EUA, neste mês de maio de 2009

Uma flor brota entre pedras,
não há fertilidade em sua terra,
ela não tem abrigo, nem água,
nunca conheceu o arco-íris da liberdade.
Em Cabul, só sangue derrama-se sobre ela,
Malalai Joya - Farah de Herat, ouve-se o choro de suas crianças,
um gigante estrangeiro, o foice local, ambos tão mortais
entre as estupendas montanhas de Qandahar,
tiros são disparados de toda a parte.
Não há horizonte, não há luz do Sol sobre a flor,
ela tem sido pisada, ofendida,
tem sobrevivido sozinha,
há incomparável formosura nesta flor,
cheiro de juventude.
O sangue do seu povo,
de centenas no solo todos os dias,
em verdade alimentam-na, não podem nunca sufocar seus sonhos.
De Jalalabad, ouve-se o suspiro do papai,
sacrificado pelo quê? O mundo não sabe...
O choro das suas meninas estupradas e queimadas,
mais alto dia após dia, ela não aguenta mais isso!
Não há canção, não há tempo, não há juventude,
a invadida Cabul está desolada,
covardes usam a força humana para ganhar terreno,
tão terrível, no Ocidente, outro lado do globo,
as pessoas não sabem o que significa
tal genocídio contra a humanidade...
Mas alegre-se, Cabul,
Você foi escolhida por Alá,
uma meiga flor, cheia de graça e vigor,
cuja força vem diretamente Dele,
cuja vida diária é dada pessoalmente por Ele,
cuja admirável valentia maravilha todo o mundo
cada vez mais,
não pode ser morta.
Essa flor tem entregado sua vida,
aos mais humildes, a esperança
pisada, ofendida, amada beleza,
em todos os lugares, todas as línguas têm compaixão de sua batalha.
Cabul, esse portento, tão especialmente seu, um amor compartilhado,
a estrela da manhã sobre você, tem o fragor da liberdade.
Uma flor chamada Malalaï Joya,
o mundo aprendeu a amá-la,
sua luta é nossa,
sua água vem de Alá